sexta-feira, 29 de junho de 2012

DELÍRIO


afresco egípcio

Ele passou rápido pela roleta de acesso ao metrô. Estava agitado e ansiava chegar em casa, teria, contudo, que enfrentar toda a aglomeração e o empurra-empurra das pessoas. Era sua rotina diária, mas que insistia em não se tornar normal, corriqueiro, até mesmo um hábito. Recusava-se. Queria paz, sossego. Ao chegar em casa buscou exorcizar todo aquele tumulto com uma música serena, que podia ser New Age ou algum outro estilo entre seus surrados CDs. Morava em Pirituba e trabalhava em uma confeitaria incrustada na República.

O elevador subiu num impulso, não via o momento da porta se abrir e vislumbrar seu apartamento. O tempo parecia não passar. Uma senhora tossia persistente e irritante ao seu lado. Pensou em enforcá-la umas duas ou três vezes. E enfim o cheiro de seu lar. Era seu odor. Sentiu, respirou profundamente, abrindo os braços e deixando-se bombardear pela deliciosa energia de estar em casa. Despiu-se e de cuecas jogou-se no sofá. Liberdade. Sossego. Paz. Ligou a televisão e os canais enumeravam as tragédias do dia, desenterrando uma ou outra polêmica, geralmente um assassinato, um caso de pedofilia, um estupro e outras notícias que em nada o estimulavam a ouvir. Após percorrer vários deles, lançou o controle remoto sobre o tapete felpudo malhado de cinza e branco e acendeu um cigarro. Dirigiu-se até a janela. A cidade lá embaixo se digladiava. Sorriu irônico.

Decidiu tomar um banho. O chuveiro esguichou a água morna em seu corpo, ensaboado. Sentou-se enquanto a ducha chovia sobre seu corpo. Esfregou aqui e ali de olhos fechados, sem preocupação com o tempo. Em geral procurava economizar água, energia, separava o lixo...mas naquele dia deu-se o direito de extravasar. Merecia aquilo. 

Enxugou-se como que realizando um ritual e lançou-se sobre a cama despreocupadamente. Despertou de sobressalto vendo os carros se desviarem de seu corpo estendido no centro da Paulista. Completamente nu não sabia se protegia-se dos carros, dos transeuntes ou escondia seu corpo despido. Correu o quanto pode avistando uma praça e nela mergulhou. A mata densa o surpreendeu e aliviou simultaneamente. Apenas o som dos pássaros, cigarras e zumbido de um besouro que voava por perto. As sombras se sucediam quietas. Nenhum sinal de civilização. Estava ou não estava em São Paulo ? Adentrou cada vez mais profundamente a mata. Deparou-se com uma belíssima cachoeira. Banhou-se, já aliviado do susto inicial. Sentou-se no lajeado deixando a correnteza fria investir contra seu corpo.

Entendeu que sonhava. Aquele cenário não poderia estar ali. O ar puro, a paz, a tranquilidade e a natureza exuberante. A qualquer momento acordaria, então era necessário curtir ao máximo aquele momento único.

Andou, seguindo o riacho. Era realmente o paraíso. Em seu dia de Adão deixou-se seduzir pela energia do lugar.

- Então esfolará o holocausto, e o partirá nos seus pedaços. (Levítico 1:6)

Ouviu a voz ressoar em som ribombante. Olhou curioso ao redor e ao alto. Estava só. Apenas o grito agudo de algum pássaro enfronhado entre as densas árvores. Mais alguns passos e viu o rio tingir-se de um vermelho escarlate. Pedaços de animais e pessoas encharcavam as águas e coloriam as pedras. O céu, já entardecendo, também refletia o rubor das águas. Desesperou-se. Adentrou por uma trilha invadindo as trevas da floresta.

E novamente a voz retumbou:

- E por tendas pôs as trevas ao redor de si; ajuntamento de águas, nuvens dos céus. (2 Samuel 22:12)

Andou por lamaçais escorregadios, afundando e pintando-se com a argila negra. Temeu perder-se para sempre naquela floresta inóspita. Gritou por socorro inutilmente. Beirou-se ao pânico. A escuridão invadia tudo. Sabia que alguém o observava. Não estava só. Mas não conseguia identificar onde a pessoa se encontrava.

- Tem alguém aí ?, berrou várias vezes sem resposta. Apenas o eco da própria voz.

Estaria apenas consigo mesmo. No auge de sua solidão ouviu chamar seu nome.

- Eder ! Eder ! Eder!

Seu nome ecoava por entre as árvores e samambaias. Estaria enlouquecendo ?

- Porque os seus pés correm para o mal, e se apressam a derramar sangue ( Provérbios 1:16)

A voz repercutiu na escuridão e somente então notou os cortes em seus pés que sangravam deixando um caminho salpicado de rubis. A lua os iluminava. Uma clareira se abrira no mangue. A lua tudo iluminava. Alva e majestosa. Sentou-se em um tronco. Estava exausto. O que estava acontecendo afinal ? Meditou sobre as frases, buscou uni-las, relacioná-las. Qual seu significado ? Centenas de perguntas borbulhavam desconexas. Onde estaria ? Por que não acordava daquele terrível pesadelo ? E novamente ouviu a voz soturna:

- Os montes tremem perante ele, e os outeiros se derretem; e a terra se levanta na sua presença; e o mundo, e todos os que nele habitam. (Naum 1:5)

Das trevas ao seu redor surgiram vultos. Pequenos seres corriam, talvez duendes. Pirilampos piscavam incessantes como uma cortina de pó dourado. Um ruído como de um pica-pau batendo persistente em algum tronco. Um mocho piou arrancando arrepios. Alguém pisava nas folhas secas.

- Alguém aí ?, arriscou inutilmente.

Novamente o silêncio tumular. Algo havia despertado os seres invisíveis da floresta. Talvez deuses milenares esquecidos naquelas matas. Talvez seres lendários concebidos ao longo das civilizações e que habitaram determinado tempo e agora vagavam ocultos por entre as sombras. Ou talvez as próprias sombras de cada ser humano em seus sonhos, delírios, desejos e maldades tenham se refugiado naquele espaço intangível no meio de uma cidade movimentada. Para onde iriam os pensamentos criados pelos homens? Se não se diluíssem talvez continuassem vivos passeando pelos submundos. Tantos desejos, tantos sonhos!

Estaria vagando nos recônditos da consciência ? E aquelas palavras ressoantes ? Seriam elas suas próprias sombras ?
- Vou respirar o doce hálito da tua boca. A cada dia vou contemplar tua beleza... Dê-me tuas mãos, carregadas de teu espírito, a fim de que eu te receba e viva por ele. Chama o meu nome no decorrer da eternidade: ele jamais faltará ao teu apelo ! (inscrição no Túmulo de Amenotep IV)

Por um instante ouviu seu próprio coração. Tocou a si mesmo. Encontrou-se. Um insight. Compreendeu sua vida como se pudesse relacionar a colcha de retalhos de sua existência e enxergar o amanhã em um espelho mágico. Sabia o que desejava. O quebra cabeça de sua vida começava a fazer sentido.

Despertou em sua cama. Sorriu olhando o teto e relaxado por estar em seu quarto. Espreguiçou-se demoradamente. Já anoitecera. Levantou e acendeu a luz. Seu corpo estremeceu ao ver os lençóis sujos de lama e sangue. Onde estivera ? O que acontecera ?

Sentou-se transtornado na poltrona surrada próxima a janela. Estava confuso. Pegou aleatoriamente um livro que estava sobre ela. Ele abriu-se deixando cair um pedaço de papel. Apanhou-o despretencioso. Nele estava escrito:

O que lavra a terra com dedicação tem mais mérito religioso do que poderia obter com mil orações sem nada fazer (Zend-Avesta)

Novamente o chuveiro e saiu para caminhar pela madrugada. Precisava refletir.



CONTOS EMANADOS DE SITUAÇÕES COTIDIANAS

“Os contos e poemas contidos neste blog são obras de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”

SABORES DO COMENDADOR

Ator Nacional: Carlos Vereza

Ator Internacional: Michael Carlisle Hall/ Jensen Ackles/ Eric Balfour

Atriz Nacional: Rosamaria Murtinho / Laura Cardoso/Zezé Mota

Atriz Internacional: Anjelica Huston

Cantor Nacional: Martinho da Vila/ Zeca Pagodinho

Cantora Nacional: Leci Brandão/ Maria Bethania/ Beth Carvalho/ Alcione/Dona Ivone Lara/Clementina de Jesus

Música: Samba de Roda

Livro: O Egípcio - Mika Waltaire

Autor: Carlos Castañeda

Filme: Besouro/Cafundó/ A Montanha dos Gorilas

Cor: Vinho e Ocre

Animal: Todos, mas especialmente gatos, jabotis e corujas.

Planta: aloé

Comida preferida: sashimi

Bebida: suco de graviola/cerveja

Mania: (várias) não passo embaixo de escada

O que aprecio nas pessoas: pontualidade, responsabilidade e organização

O que não gosto nas pessoas: pessoas indiscretas e que não cumprem seus compromissos.

Alimento que não gosta: coco, canjica, arroz doce, melão, melancia, jaca, caqui.

UM POUCO DO COMENDADOR.


Formado em Matemática e Pedagogica. Especialista em Supervisão Escolar. Especialista em Psicologia Multifocal. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa pela ABD e Instituto VAEBRASIL.

Comenda Rio de Janeiro pela Febacla. Comenda Rubem Braga pela Academia Marataizense de Letras (ES). Comenda Castro Alves (BA). Comendador pela ESCBRAS. Comenda Nelson Mandela pelo CONINTER e OFHM.

Cadeira 023, da Área de Letras, Membro Titular do Colegiado Acadêmico do Clube dos Escritores de Piracicaba, patronesse Juliana Dedini Ometto. Membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras. Membro da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias. Membro da Literarte - Associação Internacional de Escritores e Acadêmicos. Membro da União Brasileira de Escritores. Membro da Academia de Letras e Artes de Fortaleza (ALAF). Membro da Academia de Letras de Goiás Velho (ALG). Membro da Academia de Letras de Teófilo Ottoni (Minas Gerais). Membro da Academia de Letras de Cabo Frio (ARTPOP). Membro da Academia de Letras do Brasil - Seccional Suíça. Membro da Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo. Embaixador pela Académie Française des Arts Lettres et Culture. Membro da Academia de Letras e Artes Buziana. Cadeira de Grande Honra n. 15 - Patrono Pedro I pela Febacla. Membro da Academia de Ciências, Letras e Artes de Iguaba Grande (RJ). Cadeira n.º 2- ALB Araraquara.

Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Taquaritinga pelos serviços em prol da Educação. Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Bebedouro por serviços prestados à Educação Profissional no município. Homenagem pela APEOESP, pelos serviços prestados à Educação. Título de Cidadão Bebedourense. Personalidade 2010 (Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade Mais Influente e Educador 2011(Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade 2012 (ARTPOP). Medalha Lítero-Cultural Euclides da Cunha (ALB-Suíça). Embaixador da Paz pelo Instituto VAEBRASIL.

Atuou como Colunista do Diário de Taquaritinga e Jornal "Quatro Páginas" - Bebedouro/SP.
É Colunista do Portal Educação (http://www.portaleducacao.com.br

Premiações Literárias: 1º Classificado na IV Seletiva de Poesias, Contos e Crônicas de Barra Bonita – SP, agosto/2005, Clube Amigo das Letras – poema “A benção”, Menção Honrosa no XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras de Paranapuã, novembro/2005 – poema “Perfeita”, 2º colocado no Prêmio FEUC (Fundação Educacional Unificada Campograndense) de Literatura – dezembro/2005 – conto “A benção”, Menção Especial no Projeto Versos no Varal – Rio de Janeiro – abril/2006 – poema “Invernal”, 1º lugar no V Concurso de Poesias de Igaraçu do Tietê – maio/2006 – poema “Perfeita”, 3º Menção Honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba – setembro/2006 – poema “Perfeita”, 4º lugar no Concurso Literário de Bebedouro – dezembro/2006 –poema “Tropeiros”, Menção Honrosa no I concurso de Poesias sobre Cooperativismo – Bebedouro – outubro/2007, 1º lugar no VI Concurso de Poesias de Guaratinguetá – julho/2010 – poema “Promessa”, Prêmio Especial no XII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba, outubro/2010, poema “Veludo”, Menção Honrosa no 2º Concurso Literário Internacional Planície Costeira – dezembro/2010, poema “Flor de Cera”, 1º lugar no IV Concurso de Poesias da Costa da Mata Atlântica – dezembro/2010 – poema “Flor de Cera”. Outorga do Colar de Mérito Literário Haldumont Nobre Ferraz, pelo trabalho Cultural e Literário. Prêmio Literário Cláudio de Souza - Literarte 2012 - Melhor Contista.Prêmio Luso-Brasileiro de Poesia 2012 (Literarte/Editora Mágico de Oz), Melhor Contista 2013 (Prêmio Luso Brasileiro de Contos - Literarte\Editora Mágico de Oz)

Antologias: Agreste Utopia – 2004; Vozes Escritas –Clube Amigos das Letras – 2005; Além das Letras – Clube Amigos das Letras – 2006; A Terra é Azul ! -Antologia Literária Internacional – Roberto de Castro Del`Secchi – 2008; Poetas de Todo Brasil – Volume I – Clube dos Escritores de Piracicaba – 2008; XIII Coletânea Komedi – 2009; Antologia Literária Cidade – Volume II – Abílio Pacheco&Deurilene Sousa -2009; XXI Antologia de Poetas e Escritores do Brasil – Reis de Souza- 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2010; Prêmio Valdeck Almeida de Jesus – V Edição 2009, Giz Editorial; Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas - Celeiro de Escritores, 2010; Contos de Outono - Edição 2011, Autores Contemporâneos, Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Entrelinhas Literárias, Scortecci Editora, 2011; Antologia Literária Internacional - Del Secchi - Volume XXI; Cinco Passos Para Tornar-se um Escritor, Org. Izabelle Valladares, ARTPOP, 2011; Nordeste em Verso e Prosa, Org. Edson Marques Brandão, Palmeira dos Indios/Alagoas, 2011; Projeto Delicatta VI - Contos e Crônicas, Editora Delicatta, 2011; Portas para o Além - Coletânea de Contos de Terror -Literarte - 2012; Palavras, Versos, Textos e Contextos: elos de uma corrente que nos une! - Literarte - 2012; Galeria Brasil 2012 - Guia de Autores Contemporâneos, Celeiro de Escritores, Ed. Sucesso; Antologia de Contos e Crônicas - Fronteiras : realidade ou ficção ?, Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012; Nossa História, Nossos Autores, Scortecci Editora, 2012. Contos de Hoje, Literacidade, 2012. Antologia Brasileira Diamantes III, Berthier, 2012; Antologia Cidade 10, Literacidade, 2013. I Antologia da ALAB. Raízes: Laços entre Brasil e Angola. Antologia Asas da Liberdade. II Antologia da ACLAV, 2013, Literarte. Amor em Prosa e Versos, Celeiro de Escritores, 2013. Antologia Vingança, Literarte, 2013. Antologia Prêmio Luso Brasileiro - Melhores Contistas 2013. O tempo não apaga, Antologia de Poesia e Prosa - Escritores Contemporâneos - Celeiro de Escritores. Palavras Desavisadas de Tudo - Antologia Scortecci de Poesias, Contos e Crônicas 2013. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXIII, RG Editores. Antologia II - Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro. antologia Escritores Brasileiros, ZMF Editora. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXVI - RG Editores (2014). III Antologia Poética Fazendo Arte em Búzios, Editora Somar (2014). International Antology Crossing of Languages - We are Brazilians/ antologia Internacional Cruce de Idiomas - Nosotros Somos Brasileños - Or. Jô Mendonça Alcoforado - Intercâmbio Cultural (2014). 5ª Antologia Poética da ALAF (2014). Coletânea Letras Atuais, Editora Alternativa (2014). Antologia IV da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). A Poesia Contemporânea no Brasil, da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). Enciclopédia de Artistas Contemporâneos Lusófonos - 8 séculos de Língua Portuguesa, Literarte (2014). Mr. Hyde - Homem Monstro - Org. Ademir Pascale , All Print Editora (2014)

Livros (Solos): “Análise Combinatória e Probabilidade”, Geraldo José Sant’Anna/Cláudio Delfini, Editora Érica, 1996, São Paulo, e “Encantamento”, Editora Costelas Felinas, 2010; "Anhelos de la Juvenitud", Geraldo José Sant´Anna/José Roberto Almeida, Editora Costelas Felinas, 2011; O Vôo da Cotovia, Celeiro de Escritores, 2011, Pai´é - Contos de Muito Antigamente, pela Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012, A Caminho do Umbigo, pela Ed. Costelas Felinas, 2013. Metodologia de Ensino e Monitoramento da Aprendizagem em Cursos Técnicos sob a Ótica Multifocal (Editora Scortecci). Tarrafa Pedagógica (Org.), Editora Celeiro de Escritores (2013). Jardim das Almas (romance). Floriza e a Bonequinha Dourada (Infantil) pela Literarte. Planejamento, Gestão e Legislação Escolar pela Editora Erica/Saraiva (2014).

Adquira o seu - clique aqui!

Adquira o seu - clique aqui!
Metodologia e Avaliação da Aprendizagem

Pai´é - Contos de Muito Antigamente

Pai´é - Contos de Muito Antigamente
Contos de Geraldo J. Sant´Anna e fotos de Geraldo Gabriel Bossini

ENCANTAMENTO

ENCANTAMENTO
meus poemas

Análise Combinatória e Probabilidades

Análise Combinatória e Probabilidades
juntamente com o amigo Cláudio Delfini

Anhelos de la Juvenitud

Anhelos de la Juvenitud
Edições Costelas Felinas

A Caminho do Umbigo

A Caminho do Umbigo
Edições Costelas felinas

Voo da Cotovia

Voo da Cotovia
Celeiro de Escritores

Divine Acadèmie Française

Divine Acadèmie Française

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013
Literarte/Mágico de Oz (Portugal)

Lançamento da Antologia Vozes Escritas

Lançamento da Antologia Vozes Escritas
Noite de autógrafos em Barra Bonita-SP

Antologia Literária Cidade - Volume II

Antologia Literária Cidade - Volume II
Poemas : Ciclone e Ébano

Antologia Eldorado

Antologia Eldorado

Antologia II

Antologia II

Antologia Cidade 10

Antologia Cidade 10
Org. Abílio Pacheco

Antologia da ALAB

Antologia da ALAB

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas
Lançamento do CELEIRO DE ESCRITORES

Contos de Hoje - Narrativas

Contos de Hoje - Narrativas
Literacidade

O Conto Brasileiro Hoje

O Conto Brasileiro Hoje
RG Editores

4ª Antologia da ALAF

4ª Antologia da ALAF
Academia de Letras e Artes de Fortaleza

Dracúlea II

Dracúlea II
...você já leu ?

Antologia Del´Secchi

Antologia Del´Secchi

Sobrenatural

Sobrenatural
Conto: A Casa do Velho

Diamantes III

Diamantes III
Organização Fídias Teles

Entre em contato com a Editora Erica

Entre em contato com a Editora Erica
Não perca mais tempo, adquira seu exemplar.

Minhas produções

Minhas produções