terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

CUNHAPORA

- Vai ser muito bom, cara !, disse Eduardo, o Kadu, enquanto escolhia os trajes femininos, peruca e maquilagem entre risos e algazarra.
Era a primeira vez que participaria do carnaval naquela cidade, incrustada no sertão, pequena e bucólica, com grandes praças e muita gente velha conhecida papeando animadas acompanhadas por um cãozinho e pouco trânsito de veículos. Ali o carnaval era comemorado de maneira muito particular, as pessoas “trocavam de sexo”. Os homens travestiam-se de mulheres e as mulheres, de homens. Com esses trajes invadiam bares, restaurantes e ocupavam as ruas em grande folia. Era uma incrível catarse. Cada um procurava expor de maneira mais clara possível seu outro lado. Kadu estava na cidade em visita ao amigo de faculdade, João, que divulgava com grande eficiência o evento.
João já havia separado seu bustiê, uma minissaia, uma peruca de cabelos exageradamente encaracolados, uma sandália plataforma cor de palha. Fariam parte do grupo também outros amigos. A festa começaria na sexta-feira com churrasco e muita cerveja, onde também iria ocorrer a escolha da Lady do grupo.
Uma chuva fina parecia não colaborar para a plenitude das brincadeiras, embora ela não fosse impedimento. A cidade ia para as ruas de uma maneira ou de outra e para isso não havia idade, crianças e idosos contracenavam nas poucas ruas e se concentravam à beira do lago, onde quiosques e música os aguardavam.
Kadu produziu-se atentando-se a cada detalhe com a ajuda de Paula, irmã de João. Caprichou nas unhas, cílios postiços e preferiu colocar meia calça, já que tradicionalmente os homens nada colocavam por debaixo das saias, nem shorts, nem cueca...o objetivo era a provocação e a liberdade. Isso porém, sem conotação sexual, a diversão imperava, na mais pura zueira.
A cerveja começou a circular no grupo de amigos logo cedo, já devidamente trajados. João simulava trejeitos de madame em sua plataforma, rebolando e levando tapas na bunda enquanto passava. Aos poucos chegaram Thiago com um vestido de malha branca e flores azuis muito justo no corpo evidenciando todos os contornos possíveis, chinelos, peruca loura com uma flor de plástico velha e desgastada, como que arrancada de uma sepultura abandonada. Lauro apareceu trajando um “tomara que caia”, em que todos rezavam para que não caísse e uma saída de banho, sandálias, peruca curta preta e maçãs do rosto extraordinariamente vermelhas. Adriano chegou com uma peruca Marilyn Monroe, vestido de decote e botinas.
Aos poucos outros foram chegando, surpreendendo com sua imaginação e deboche.
Em outra casa um grupo de garotas também se especializava no trato masculino. Porém, esse encontro somente aconteceria bem à noite, junto ao lago, onde todos iriam se reunir.
Entre palhaçadas e cerveja chegou o horário previsto para invadirem as ruas nas tradicionais celebrações de Momo. A alegria era contagiante, com muitas risadas e surpresas ao se depararem com os trajes dos colegas, engraçados e promovendo situações divertidas como beijar a namorada que possui farto bigode.
A chuva muito fina dava um aspecto de neblina, gradualmente ensopando a todos os participantes dessa farra. Kadu estava extasiado, muito bêbado, cantando e dançando, irreverente e despachado. Logo foi parar em cima do caminhão onde iria ocorrer a disputa da Lady. Foram doze candidatos, um mais escandaloso que outro exibindo seus dotes e “feminilidade”, levando o público ao delírio. O corpo de jurados era formado por cinco mulheres de diferentes idades e “puramente” masculinas.
Após exibições e gargalhadas, o vencedor foi Kadu, como não poderia deixar de ser. Saiu carregado pela multidão, sendo lançado ao ar e regado com muito mais cerveja.
Entusiasmado lançou-se no lago e nadou até uma escultura feminina que emergia das águas, no centro do lago.
A festa prosseguia. Com o avançar das horas era comum as pessoas se atirarem no lago, incluindo alguns exageros que faziam com que algum corpo fosse encontrado no dia seguinte boiando nas águas. Também casais podiam ser surpreendidos na penumbra, entre árvores, movidos pelo desejo e efeitos do álcool.
Adriano, desde o churrasco, seguia Kadu com os olhos, estudando seu corpo, gestos e beleza. Aproveitou-se quando Kadu sentou-se na sarjeta para se aproximar. Embora surpreso com a investida do amigo não se recusou a desfrutar aqueles momentos. A noite os encobriria, ninguém ficaria sabendo. Dirigiram-se ao prédio da antiga Estação Ferroviária, agora abandonada.
A Estação ficava próximo à nascente que dava origem ao lago. Um lugar repleto de antigas estórias e lendas, inclusive a que deu origem a festa.
Antigamente a cidade era habitada por indígenas e o lago era considerado a morada de uma velha deusa chamada Cunhapora. Contavam que Cunhapora era de extraordinária beleza, nas noites de lua cheia caminhava às margens da lagoa e encantava os rapazes levando-os para um festim sexual no fundo das águas, de onde nunca mais retornavam. Todos os anos os aldeões ofereciam-lhe homenagens com flores, danças e um rapaz era escolhido e lançado às águas. Acreditavam que tal providência evitava que a deusa caminhasse pela aldeia e levasse consigo outras pessoas. Também evitava-se a propagação de doenças que a deusa lançava quando contrariada.
Aos poucos a lenda se metamorfoseou no Carnaval, pela coincidência de datas, persistindo a escolha do rapaz, que no início vestia-se com os trajes de Cunhapora. A deusa coberta de lodo e flores aquáticas deixava revelar seu colo, objeto de atração e desejo dos mancebos locais.
Entregue aos prazeres, os rapazes não viram que uma moça se aproximava. Kadu estremeceu ao avistá-la na penumbra, não pelo susto, mas por ter sido flagrado e sua reputação masculina abalada. Adriano fitou-a, tentando identificar afinal conhecia todas as pessoas da cidade. Seu olhar vítreo e hipnótico atraiu Kadu para si com uma profunda auto-confiança. O rapaz não vacilou aproximando-se a passos lentos da misteriosa mulher.
Adriano irritou-se e num misto de indignação e ciúmes abandonou a Estação para que os dois pudessem curtir o momento a sós. Atravessou as ruas escuras com lágrimas nos olhos, decepcionado e triste, rumo a sua casa.
Algumas poucas pessoas permaneciam no ritmo carnavalesco, muitos estavam estirados no chão esgotados. A chuva havia cedido espaço a uma noite calma. Não demoraria para o sol reaparecer.

_____  _____

A tarde já avançava e muitas pessoas procuravam Kadu. Temiam que tivesse se afogado ou pudesse ser encontrado em coma alcoólico em algum lugar. A pequena cidade movimentou-se na busca que todos intuíam infrutífera.
Mais um carnaval em que a Lady desaparecia e, certamente, celebrava no fundo do lago com alegria e prazer nos braços de Cunhapora. Caberia a João selecionar mais um belo rapaz para o próximo carnaval.
A tradição se mantinha e Cunhapora estava satisfeita, graças à Irmandade Abayomi, um grupo secreto que velava pelas antigas tradições e promovia o “alegre encontro” com a deusa.

CONTOS EMANADOS DE SITUAÇÕES COTIDIANAS

“Os contos e poemas contidos neste blog são obras de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”

SABORES DO COMENDADOR

Ator Nacional: Carlos Vereza

Ator Internacional: Michael Carlisle Hall/ Jensen Ackles/ Eric Balfour

Atriz Nacional: Rosamaria Murtinho / Laura Cardoso/Zezé Mota

Atriz Internacional: Anjelica Huston

Cantor Nacional: Martinho da Vila/ Zeca Pagodinho

Cantora Nacional: Leci Brandão/ Maria Bethania/ Beth Carvalho/ Alcione/Dona Ivone Lara/Clementina de Jesus

Música: Samba de Roda

Livro: O Egípcio - Mika Waltaire

Autor: Carlos Castañeda

Filme: Besouro/Cafundó/ A Montanha dos Gorilas

Cor: Vinho e Ocre

Animal: Todos, mas especialmente gatos, jabotis e corujas.

Planta: aloé

Comida preferida: sashimi

Bebida: suco de graviola/cerveja

Mania: (várias) não passo embaixo de escada

O que aprecio nas pessoas: pontualidade, responsabilidade e organização

O que não gosto nas pessoas: pessoas indiscretas e que não cumprem seus compromissos.

Alimento que não gosta: coco, canjica, arroz doce, melão, melancia, jaca, caqui.

UM POUCO DO COMENDADOR.


Formado em Matemática e Pedagogica. Especialista em Supervisão Escolar. Especialista em Psicologia Multifocal. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa pela ABD e Instituto VAEBRASIL.

Comenda Rio de Janeiro pela Febacla. Comenda Rubem Braga pela Academia Marataizense de Letras (ES). Comenda Castro Alves (BA). Comendador pela ESCBRAS. Comenda Nelson Mandela pelo CONINTER e OFHM.

Cadeira 023, da Área de Letras, Membro Titular do Colegiado Acadêmico do Clube dos Escritores de Piracicaba, patronesse Juliana Dedini Ometto. Membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras. Membro da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias. Membro da Literarte - Associação Internacional de Escritores e Acadêmicos. Membro da União Brasileira de Escritores. Membro da Academia de Letras e Artes de Fortaleza (ALAF). Membro da Academia de Letras de Goiás Velho (ALG). Membro da Academia de Letras de Teófilo Ottoni (Minas Gerais). Membro da Academia de Letras de Cabo Frio (ARTPOP). Membro da Academia de Letras do Brasil - Seccional Suíça. Membro da Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo. Embaixador pela Académie Française des Arts Lettres et Culture. Membro da Academia de Letras e Artes Buziana. Cadeira de Grande Honra n. 15 - Patrono Pedro I pela Febacla. Membro da Academia de Ciências, Letras e Artes de Iguaba Grande (RJ). Cadeira n.º 2- ALB Araraquara.

Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Taquaritinga pelos serviços em prol da Educação. Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Bebedouro por serviços prestados à Educação Profissional no município. Homenagem pela APEOESP, pelos serviços prestados à Educação. Título de Cidadão Bebedourense. Personalidade 2010 (Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade Mais Influente e Educador 2011(Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade 2012 (ARTPOP). Medalha Lítero-Cultural Euclides da Cunha (ALB-Suíça). Embaixador da Paz pelo Instituto VAEBRASIL.

Atuou como Colunista do Diário de Taquaritinga e Jornal "Quatro Páginas" - Bebedouro/SP.
É Colunista do Portal Educação (http://www.portaleducacao.com.br

Premiações Literárias: 1º Classificado na IV Seletiva de Poesias, Contos e Crônicas de Barra Bonita – SP, agosto/2005, Clube Amigo das Letras – poema “A benção”, Menção Honrosa no XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras de Paranapuã, novembro/2005 – poema “Perfeita”, 2º colocado no Prêmio FEUC (Fundação Educacional Unificada Campograndense) de Literatura – dezembro/2005 – conto “A benção”, Menção Especial no Projeto Versos no Varal – Rio de Janeiro – abril/2006 – poema “Invernal”, 1º lugar no V Concurso de Poesias de Igaraçu do Tietê – maio/2006 – poema “Perfeita”, 3º Menção Honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba – setembro/2006 – poema “Perfeita”, 4º lugar no Concurso Literário de Bebedouro – dezembro/2006 –poema “Tropeiros”, Menção Honrosa no I concurso de Poesias sobre Cooperativismo – Bebedouro – outubro/2007, 1º lugar no VI Concurso de Poesias de Guaratinguetá – julho/2010 – poema “Promessa”, Prêmio Especial no XII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba, outubro/2010, poema “Veludo”, Menção Honrosa no 2º Concurso Literário Internacional Planície Costeira – dezembro/2010, poema “Flor de Cera”, 1º lugar no IV Concurso de Poesias da Costa da Mata Atlântica – dezembro/2010 – poema “Flor de Cera”. Outorga do Colar de Mérito Literário Haldumont Nobre Ferraz, pelo trabalho Cultural e Literário. Prêmio Literário Cláudio de Souza - Literarte 2012 - Melhor Contista.Prêmio Luso-Brasileiro de Poesia 2012 (Literarte/Editora Mágico de Oz), Melhor Contista 2013 (Prêmio Luso Brasileiro de Contos - Literarte\Editora Mágico de Oz)

Antologias: Agreste Utopia – 2004; Vozes Escritas –Clube Amigos das Letras – 2005; Além das Letras – Clube Amigos das Letras – 2006; A Terra é Azul ! -Antologia Literária Internacional – Roberto de Castro Del`Secchi – 2008; Poetas de Todo Brasil – Volume I – Clube dos Escritores de Piracicaba – 2008; XIII Coletânea Komedi – 2009; Antologia Literária Cidade – Volume II – Abílio Pacheco&Deurilene Sousa -2009; XXI Antologia de Poetas e Escritores do Brasil – Reis de Souza- 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2010; Prêmio Valdeck Almeida de Jesus – V Edição 2009, Giz Editorial; Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas - Celeiro de Escritores, 2010; Contos de Outono - Edição 2011, Autores Contemporâneos, Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Entrelinhas Literárias, Scortecci Editora, 2011; Antologia Literária Internacional - Del Secchi - Volume XXI; Cinco Passos Para Tornar-se um Escritor, Org. Izabelle Valladares, ARTPOP, 2011; Nordeste em Verso e Prosa, Org. Edson Marques Brandão, Palmeira dos Indios/Alagoas, 2011; Projeto Delicatta VI - Contos e Crônicas, Editora Delicatta, 2011; Portas para o Além - Coletânea de Contos de Terror -Literarte - 2012; Palavras, Versos, Textos e Contextos: elos de uma corrente que nos une! - Literarte - 2012; Galeria Brasil 2012 - Guia de Autores Contemporâneos, Celeiro de Escritores, Ed. Sucesso; Antologia de Contos e Crônicas - Fronteiras : realidade ou ficção ?, Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012; Nossa História, Nossos Autores, Scortecci Editora, 2012. Contos de Hoje, Literacidade, 2012. Antologia Brasileira Diamantes III, Berthier, 2012; Antologia Cidade 10, Literacidade, 2013. I Antologia da ALAB. Raízes: Laços entre Brasil e Angola. Antologia Asas da Liberdade. II Antologia da ACLAV, 2013, Literarte. Amor em Prosa e Versos, Celeiro de Escritores, 2013. Antologia Vingança, Literarte, 2013. Antologia Prêmio Luso Brasileiro - Melhores Contistas 2013. O tempo não apaga, Antologia de Poesia e Prosa - Escritores Contemporâneos - Celeiro de Escritores. Palavras Desavisadas de Tudo - Antologia Scortecci de Poesias, Contos e Crônicas 2013. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXIII, RG Editores. Antologia II - Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro. antologia Escritores Brasileiros, ZMF Editora. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXVI - RG Editores (2014). III Antologia Poética Fazendo Arte em Búzios, Editora Somar (2014). International Antology Crossing of Languages - We are Brazilians/ antologia Internacional Cruce de Idiomas - Nosotros Somos Brasileños - Or. Jô Mendonça Alcoforado - Intercâmbio Cultural (2014). 5ª Antologia Poética da ALAF (2014). Coletânea Letras Atuais, Editora Alternativa (2014). Antologia IV da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). A Poesia Contemporânea no Brasil, da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). Enciclopédia de Artistas Contemporâneos Lusófonos - 8 séculos de Língua Portuguesa, Literarte (2014). Mr. Hyde - Homem Monstro - Org. Ademir Pascale , All Print Editora (2014)

Livros (Solos): “Análise Combinatória e Probabilidade”, Geraldo José Sant’Anna/Cláudio Delfini, Editora Érica, 1996, São Paulo, e “Encantamento”, Editora Costelas Felinas, 2010; "Anhelos de la Juvenitud", Geraldo José Sant´Anna/José Roberto Almeida, Editora Costelas Felinas, 2011; O Vôo da Cotovia, Celeiro de Escritores, 2011, Pai´é - Contos de Muito Antigamente, pela Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012, A Caminho do Umbigo, pela Ed. Costelas Felinas, 2013. Metodologia de Ensino e Monitoramento da Aprendizagem em Cursos Técnicos sob a Ótica Multifocal (Editora Scortecci). Tarrafa Pedagógica (Org.), Editora Celeiro de Escritores (2013). Jardim das Almas (romance). Floriza e a Bonequinha Dourada (Infantil) pela Literarte. Planejamento, Gestão e Legislação Escolar pela Editora Erica/Saraiva (2014).

Adquira o seu - clique aqui!

Adquira o seu - clique aqui!
Metodologia e Avaliação da Aprendizagem

Pai´é - Contos de Muito Antigamente

Pai´é - Contos de Muito Antigamente
Contos de Geraldo J. Sant´Anna e fotos de Geraldo Gabriel Bossini

ENCANTAMENTO

ENCANTAMENTO
meus poemas

Análise Combinatória e Probabilidades

Análise Combinatória e Probabilidades
juntamente com o amigo Cláudio Delfini

Anhelos de la Juvenitud

Anhelos de la Juvenitud
Edições Costelas Felinas

A Caminho do Umbigo

A Caminho do Umbigo
Edições Costelas felinas

Voo da Cotovia

Voo da Cotovia
Celeiro de Escritores

Divine Acadèmie Française

Divine Acadèmie Française

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013
Literarte/Mágico de Oz (Portugal)

Lançamento da Antologia Vozes Escritas

Lançamento da Antologia Vozes Escritas
Noite de autógrafos em Barra Bonita-SP

Antologia Literária Cidade - Volume II

Antologia Literária Cidade - Volume II
Poemas : Ciclone e Ébano

Antologia Eldorado

Antologia Eldorado

Antologia II

Antologia II

Antologia Cidade 10

Antologia Cidade 10
Org. Abílio Pacheco

Antologia da ALAB

Antologia da ALAB

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas
Lançamento do CELEIRO DE ESCRITORES

Contos de Hoje - Narrativas

Contos de Hoje - Narrativas
Literacidade

O Conto Brasileiro Hoje

O Conto Brasileiro Hoje
RG Editores

4ª Antologia da ALAF

4ª Antologia da ALAF
Academia de Letras e Artes de Fortaleza

Dracúlea II

Dracúlea II
...você já leu ?

Antologia Del´Secchi

Antologia Del´Secchi

Sobrenatural

Sobrenatural
Conto: A Casa do Velho

Diamantes III

Diamantes III
Organização Fídias Teles

Entre em contato com a Editora Erica

Entre em contato com a Editora Erica
Não perca mais tempo, adquira seu exemplar.

Minhas produções

Minhas produções