sábado, 3 de março de 2012

O SEGREDO


http://fotosbossini.blogspot.com

Esta é a vida de Sebastião. Sebastião chegou ao vilarejo com cerca de oito anos de idade. A família o mantinha com sua tradicional bermuda pouco abaixo dos joelhos com suspensório, camisa e headwear, meia e sapatos. Um menino de poucas palavras, que brincava pouco. Os pais muito rígidos o mantinham quase que em cativeiro na grande casa da esquina.

A casa pintada em tons de terracota era bastante arborizada, na verdade quase uma floresta onde a família se mantinha isolada, de poucos amigos e nada hospitaleira. Levavam Sebastião até a entrada do colégio e iam buscá-lo, mantendo-o quase intocável. O colégio, dirigido por padres, mantinha o rigor severo da disciplina, portanto entre seus muros os pais podiam ficar despreocupados. Nesse estilo de vida, Sebastião aprofundou-se na leitura, os livros substituíram os amigos e através de seu destaque escolar sobrepujou-se aos colegas, garantindo assim o título de “crânio”, dispensando-o de uma série de outras atividades e justificativas para seu comportamento distante e tímido.

Aos doze anos estava trabalhando na loja de tecidos do “Seu” Bady, inicialmente como entregador, depois como vendedor e não demorou para estar auxiliando nas compras e contabilidade.

- Esse menino é um gênio !, exclamava o homem satisfeito e assombrado com o ágil raciocínio do rapaz e habilidades no cálculo.

O menino realmente possuía uma memória incrível, além da chamada memória fotográfica. Lembrava-se com detalhes dos acontecimentos e pessoas. Essa habilidade encantava os clientes que rapidamente eram reconhecidos e chamados pelo nome, mesmo que tivessem estado na loja apenas uma vez.

Os outros funcionários da loja, Tadeu e Darcy, o incomodavam falando sobre sexo e garotas. Mas Sebastião deslizava habilmente saindo de cena. Os rapazes questionavam se ele queria ser santo e essa probabilidade era grande. Do bolso da bermuda sempre pendia um crucifixo. O menino conhecia os santos e sabia narrar a vida deles com propriedade. Participava das missas e por vezes apontava o desejo interior de ser monge, com voto de silêncio, pobreza e castidade. Mas tratava-se de mero desejo, não totalmente introjetado e rejeitado pelos pais.

Em uma noite em que precisaram avançar até altas horas em razão de uma grande encomenda, Tadeu e Darcy resolveram aplicar uma peça no garoto e articularam levá-lo até a casa de Nelcy. Nelcy era bem conhecida na cidade e possuía um barzinho em uma estradinha de terra afastada da cidade. Sebastião não imaginava que seria levado para uma zona. Inocentemente chegou ao local. Estranhou a pouca luminosidade e a rusticidade do lugar que tanto foi elogiado a ele.

Darcy, já bastante conhecido da casa, fez sinal a uma das meninas de Nelcy, apontando para o novato. O calouro da noite. Um rapazinho virgem entregue nas hábeis mãos de Priscila. O menino foi levado gentilmente para o interior, enquanto Darcy e Tadeu pediram um conhaque. Sempre começavam com um conhaque.

As horas passaram de maneira que os dois amigos se empolgaram. Sebastião devia ter gostado da coisa.

- Nunca comeu melado, agora que comeu deve estar se lambuzando...comentou sorridente Tadeu.

Resolveram ir até o quarto e surpreenderem a estréia do rapaz. A surpresa, no entanto, foi deles. Sebastião, sentado na cama, completamente vestido, de boina, conversava animadamente com Priscila. A moça ainda volta-se para os dois e diz “nossa, ele é ótimo !, traga-o mais vezes aqui...”.

- Pelo menos ele não estava rezando no quarto !, protestou Darcy disfarçando a imensa decepção que caíra sobre ele.

- A Priscila é uma pessoa adorável, quero vê-la outras vezes – revelou Sebastião com uma irritante inocência.

A pressão sobre Sebastião passou a não ser tão grande, convenceram-se de que ele deveria ser padre mesmo. Mas Darcy ainda não se dera por convencido. Era uma questão de honra levá-lo a um puteiro e vê-lo entregar-se aos prazeres carnais, mesmo que tivesse de embebedá-lo.

Dessa forma, Darcy o importunava eventualmente com o objetivo de constrangê-lo. Por vezes fazia questão de exibir seus órgãos genitais ao rapaz, observando atentamente a reação. Sebastião sempre tinha um comentário zombeteiro que deixava Darcy completamente desajeitado e sem resposta. “Ele tem tudo na ponta da língua !”, esbravejava inconformado.

Mais uma tentativa e Darcy combinou com Tadeu dar um porre no jovem. Saíram para o bar do “Seu” Nelson, bem no centro do vilarejo. Assim Sebastião se sentiria mais confiante e confortável. O desafiaram a tomar uma branquinha e logo estavam iniciando uma propositada competição. Uma, duas, três e Sebastião já começou a enrolar a língua, a falar mais e rir muito. O carro de Tadeu aguardava o momento de levá-lo novamente para a casa de Nelcy. Tudo correria bem se Sebastião não tivesse ido ao banheiro e não retornado mais. Encontraram-no dormindo e roncando aos pés do tamarineiro no fundo do estabelecimento. Não houve quem o acordasse. Deram-lhe um café forte e levaram para casa.

Como o movimento da loja crescia, “Seu” Bady contratou para trabalhar um seu sobrinho recém chegado. O rapaz de olhos amendoados, pele bronzeada, sobrancelhas fechadas e aveludadas chamou a atenção de Sebastião. Chamava-se Khalid. Por alguma razão a presença de Khalid fazia Sebastião ficar inseguro, trêmulo e com escassez de raciocínio. Evidentemente, aprimorou-se na arte de disfarçar essas reações exceto do próprio Khalid que logo identificou a mudança de comportamento, o baixar os olhos de Sebastião em sua presença. Curiosamente havia uma estranha satisfação nisso, por essa razão abraçava Sebastião quando estavam todos juntos na loja, porém evitava ficar sozinho com o moço.

Sebastião começou a pensar em deixar a loja, buscar outro emprego, mas não havia justificativa para isso. Com absoluta certeza deveria dar satisfações aos seus pais, ao “Seu” Bady e os colegas Tadeu, Darcy e Khalid.

Nesse ínterim, a família de Sebastião foi procurada pelos Anzol Moreira, Sr. Demerval e Sra. Ernestina, que desejavam arranjar o casamento entre o moço e sua filha Zoé. Zoé recebia tratamento similar ao de Sebastião, estudando em colégio de freiras e tendo uma vida recatada e distante dos burburinhos de uma sociedade perdida. Os pais de Sebastião foram evasivos, secos, ríspidos e todos os sinônimos e atitudes que possam ser dadas a alguém que não deseja estabelecer qualquer tipo de contato amistoso. Praticamente foram postos para fora da casa. Saíram desolados. Sebastião era um bom moço, mas sua família inóspita.

A chegada de Khalid estimulou ainda mais Darcy e Tadeu em produzirem a perda da virgindade de Sebastião. Isso os incomodava. Homem devia sair com as mulheres e a casa de Nelcy era o ponto de encontro de todos os homens. Khalid ficou motivado a colaborar.

Mais uma vez foram à casa de Nelcy. Sebastião seguia feliz com a possibilidade de rever Priscila. Após algumas biritas, Khalid desafiou Sebastião a irem juntos com duas garotas para o mesmo quarto. Os músculos das pernas de Sebastião pareciam querer desprender-se dos ossos. Um tremor incontrolável o dominou. Sem ter tempo para responder, Raquel o puxou para si, enquanto Damascena enlaçava Khalid, sensualmente.

Conforme Khalid havia combinado os dois entrariam no quarto e somente a um sinal elas entrariam. Fechados no estreito quarto mal cheiroso, iluminado por uma vaga luz alaranjada de um abajour, Khalid despiu-se diante do olhar atônito de Sebastião. Sebastião fitava o corpo bem delineado do moço entre milhares de pensamentos que colidiam gerando uma transtornada erupção de emoções. Sebastião timidamente resistia em despir-se, até que impaciente Khalid avançou sobre ele e arrancou-lhe a bermuda. Houve um silêncio sepulcral. Khalid descobria o segredo do moço. Era uma garota.

Perdido e sem saber o que fazer, Khalid pedia perdão. Sebastião chorava. Combinaram que Sebastião estava passando mal e iriam para casa. Comprometera-se guardar isso somente para ele.

A questão é que algo havia despertado em Khalid e não demorou para que passassem a se encontrar secretamente. A mudança nos comportamentos dos rapazes foi percebida por Darcy e Tadeu que entenderam estar acontecendo algo mais íntimo entre os dois. Logo sorrisos irônicos, algumas piadas e indiretas começaram a fazerem parte do cotidiano da loja. Darcy logo decretou que Sebastião deveria ser um “mariquinha”, uma “mulherzinha” e pelo visto era “mulherzinha” do Khalid. As insinuações de Darcy fizeram com que Khalid perdesse a paciência e a tolerância e espancasse violentamente o moço. As coisas ficariam piores se não houvesse a intervenção do "Seu" Bady.

Repentinamente Sebastião desapareceu. “Seu” Bady revoltou-se dizendo que as imbecilidades de Darcy e Tadeu devem ter afastado o melhor profissional da loja. Juntamente com seu sobrinho, Khalid, resolveu ir até a casa do moço, apresentar suas formais desculpas e pedir que retornasse ao trabalho.

A casa estava silenciosa. Após muito bater palmas e chamar pelos donos da casa, uma vizinha apressou-se em atravessar a rua e dizer que eles haviam saído na madrugada da noite anterior com o caminhão de mudança.

- Como sempre não se despediram. Aliás a dona da casa falou comigo umas duas ou três vezes nesses anos todos que moraram aí...complementou a senhora. 

Os homens se entreolharam consternados. Khalid estava com o coração apertado, vivera um intenso romance e que jamais poderia revelar.

Sebastião estava distante dali para ter seu filho. A família manteria o seu segredo.

CONTOS EMANADOS DE SITUAÇÕES COTIDIANAS

“Os contos e poemas contidos neste blog são obras de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”

SABORES DO COMENDADOR

Ator Nacional: Carlos Vereza

Ator Internacional: Michael Carlisle Hall/ Jensen Ackles/ Eric Balfour

Atriz Nacional: Rosamaria Murtinho / Laura Cardoso/Zezé Mota

Atriz Internacional: Anjelica Huston

Cantor Nacional: Martinho da Vila/ Zeca Pagodinho

Cantora Nacional: Leci Brandão/ Maria Bethania/ Beth Carvalho/ Alcione/Dona Ivone Lara/Clementina de Jesus

Música: Samba de Roda

Livro: O Egípcio - Mika Waltaire

Autor: Carlos Castañeda

Filme: Besouro/Cafundó/ A Montanha dos Gorilas

Cor: Vinho e Ocre

Animal: Todos, mas especialmente gatos, jabotis e corujas.

Planta: aloé

Comida preferida: sashimi

Bebida: suco de graviola/cerveja

Mania: (várias) não passo embaixo de escada

O que aprecio nas pessoas: pontualidade, responsabilidade e organização

O que não gosto nas pessoas: pessoas indiscretas e que não cumprem seus compromissos.

Alimento que não gosta: coco, canjica, arroz doce, melão, melancia, jaca, caqui.

UM POUCO DO COMENDADOR.


Formado em Matemática e Pedagogica. Especialista em Supervisão Escolar. Especialista em Psicologia Multifocal. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa pela ABD e Instituto VAEBRASIL.

Comenda Rio de Janeiro pela Febacla. Comenda Rubem Braga pela Academia Marataizense de Letras (ES). Comenda Castro Alves (BA). Comendador pela ESCBRAS. Comenda Nelson Mandela pelo CONINTER e OFHM.

Cadeira 023, da Área de Letras, Membro Titular do Colegiado Acadêmico do Clube dos Escritores de Piracicaba, patronesse Juliana Dedini Ometto. Membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras. Membro da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias. Membro da Literarte - Associação Internacional de Escritores e Acadêmicos. Membro da União Brasileira de Escritores. Membro da Academia de Letras e Artes de Fortaleza (ALAF). Membro da Academia de Letras de Goiás Velho (ALG). Membro da Academia de Letras de Teófilo Ottoni (Minas Gerais). Membro da Academia de Letras de Cabo Frio (ARTPOP). Membro da Academia de Letras do Brasil - Seccional Suíça. Membro da Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo. Embaixador pela Académie Française des Arts Lettres et Culture. Membro da Academia de Letras e Artes Buziana. Cadeira de Grande Honra n. 15 - Patrono Pedro I pela Febacla. Membro da Academia de Ciências, Letras e Artes de Iguaba Grande (RJ). Cadeira n.º 2- ALB Araraquara.

Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Taquaritinga pelos serviços em prol da Educação. Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Bebedouro por serviços prestados à Educação Profissional no município. Homenagem pela APEOESP, pelos serviços prestados à Educação. Título de Cidadão Bebedourense. Personalidade 2010 (Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade Mais Influente e Educador 2011(Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade 2012 (ARTPOP). Medalha Lítero-Cultural Euclides da Cunha (ALB-Suíça). Embaixador da Paz pelo Instituto VAEBRASIL.

Atuou como Colunista do Diário de Taquaritinga e Jornal "Quatro Páginas" - Bebedouro/SP.
É Colunista do Portal Educação (http://www.portaleducacao.com.br

Premiações Literárias: 1º Classificado na IV Seletiva de Poesias, Contos e Crônicas de Barra Bonita – SP, agosto/2005, Clube Amigo das Letras – poema “A benção”, Menção Honrosa no XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras de Paranapuã, novembro/2005 – poema “Perfeita”, 2º colocado no Prêmio FEUC (Fundação Educacional Unificada Campograndense) de Literatura – dezembro/2005 – conto “A benção”, Menção Especial no Projeto Versos no Varal – Rio de Janeiro – abril/2006 – poema “Invernal”, 1º lugar no V Concurso de Poesias de Igaraçu do Tietê – maio/2006 – poema “Perfeita”, 3º Menção Honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba – setembro/2006 – poema “Perfeita”, 4º lugar no Concurso Literário de Bebedouro – dezembro/2006 –poema “Tropeiros”, Menção Honrosa no I concurso de Poesias sobre Cooperativismo – Bebedouro – outubro/2007, 1º lugar no VI Concurso de Poesias de Guaratinguetá – julho/2010 – poema “Promessa”, Prêmio Especial no XII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba, outubro/2010, poema “Veludo”, Menção Honrosa no 2º Concurso Literário Internacional Planície Costeira – dezembro/2010, poema “Flor de Cera”, 1º lugar no IV Concurso de Poesias da Costa da Mata Atlântica – dezembro/2010 – poema “Flor de Cera”. Outorga do Colar de Mérito Literário Haldumont Nobre Ferraz, pelo trabalho Cultural e Literário. Prêmio Literário Cláudio de Souza - Literarte 2012 - Melhor Contista.Prêmio Luso-Brasileiro de Poesia 2012 (Literarte/Editora Mágico de Oz), Melhor Contista 2013 (Prêmio Luso Brasileiro de Contos - Literarte\Editora Mágico de Oz)

Antologias: Agreste Utopia – 2004; Vozes Escritas –Clube Amigos das Letras – 2005; Além das Letras – Clube Amigos das Letras – 2006; A Terra é Azul ! -Antologia Literária Internacional – Roberto de Castro Del`Secchi – 2008; Poetas de Todo Brasil – Volume I – Clube dos Escritores de Piracicaba – 2008; XIII Coletânea Komedi – 2009; Antologia Literária Cidade – Volume II – Abílio Pacheco&Deurilene Sousa -2009; XXI Antologia de Poetas e Escritores do Brasil – Reis de Souza- 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2010; Prêmio Valdeck Almeida de Jesus – V Edição 2009, Giz Editorial; Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas - Celeiro de Escritores, 2010; Contos de Outono - Edição 2011, Autores Contemporâneos, Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Entrelinhas Literárias, Scortecci Editora, 2011; Antologia Literária Internacional - Del Secchi - Volume XXI; Cinco Passos Para Tornar-se um Escritor, Org. Izabelle Valladares, ARTPOP, 2011; Nordeste em Verso e Prosa, Org. Edson Marques Brandão, Palmeira dos Indios/Alagoas, 2011; Projeto Delicatta VI - Contos e Crônicas, Editora Delicatta, 2011; Portas para o Além - Coletânea de Contos de Terror -Literarte - 2012; Palavras, Versos, Textos e Contextos: elos de uma corrente que nos une! - Literarte - 2012; Galeria Brasil 2012 - Guia de Autores Contemporâneos, Celeiro de Escritores, Ed. Sucesso; Antologia de Contos e Crônicas - Fronteiras : realidade ou ficção ?, Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012; Nossa História, Nossos Autores, Scortecci Editora, 2012. Contos de Hoje, Literacidade, 2012. Antologia Brasileira Diamantes III, Berthier, 2012; Antologia Cidade 10, Literacidade, 2013. I Antologia da ALAB. Raízes: Laços entre Brasil e Angola. Antologia Asas da Liberdade. II Antologia da ACLAV, 2013, Literarte. Amor em Prosa e Versos, Celeiro de Escritores, 2013. Antologia Vingança, Literarte, 2013. Antologia Prêmio Luso Brasileiro - Melhores Contistas 2013. O tempo não apaga, Antologia de Poesia e Prosa - Escritores Contemporâneos - Celeiro de Escritores. Palavras Desavisadas de Tudo - Antologia Scortecci de Poesias, Contos e Crônicas 2013. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXIII, RG Editores. Antologia II - Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro. antologia Escritores Brasileiros, ZMF Editora. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXVI - RG Editores (2014). III Antologia Poética Fazendo Arte em Búzios, Editora Somar (2014). International Antology Crossing of Languages - We are Brazilians/ antologia Internacional Cruce de Idiomas - Nosotros Somos Brasileños - Or. Jô Mendonça Alcoforado - Intercâmbio Cultural (2014). 5ª Antologia Poética da ALAF (2014). Coletânea Letras Atuais, Editora Alternativa (2014). Antologia IV da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). A Poesia Contemporânea no Brasil, da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). Enciclopédia de Artistas Contemporâneos Lusófonos - 8 séculos de Língua Portuguesa, Literarte (2014). Mr. Hyde - Homem Monstro - Org. Ademir Pascale , All Print Editora (2014)

Livros (Solos): “Análise Combinatória e Probabilidade”, Geraldo José Sant’Anna/Cláudio Delfini, Editora Érica, 1996, São Paulo, e “Encantamento”, Editora Costelas Felinas, 2010; "Anhelos de la Juvenitud", Geraldo José Sant´Anna/José Roberto Almeida, Editora Costelas Felinas, 2011; O Vôo da Cotovia, Celeiro de Escritores, 2011, Pai´é - Contos de Muito Antigamente, pela Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012, A Caminho do Umbigo, pela Ed. Costelas Felinas, 2013. Metodologia de Ensino e Monitoramento da Aprendizagem em Cursos Técnicos sob a Ótica Multifocal (Editora Scortecci). Tarrafa Pedagógica (Org.), Editora Celeiro de Escritores (2013). Jardim das Almas (romance). Floriza e a Bonequinha Dourada (Infantil) pela Literarte. Planejamento, Gestão e Legislação Escolar pela Editora Erica/Saraiva (2014).

Adquira o seu - clique aqui!

Adquira o seu - clique aqui!
Metodologia e Avaliação da Aprendizagem

Pai´é - Contos de Muito Antigamente

Pai´é - Contos de Muito Antigamente
Contos de Geraldo J. Sant´Anna e fotos de Geraldo Gabriel Bossini

ENCANTAMENTO

ENCANTAMENTO
meus poemas

Análise Combinatória e Probabilidades

Análise Combinatória e Probabilidades
juntamente com o amigo Cláudio Delfini

Anhelos de la Juvenitud

Anhelos de la Juvenitud
Edições Costelas Felinas

A Caminho do Umbigo

A Caminho do Umbigo
Edições Costelas felinas

Voo da Cotovia

Voo da Cotovia
Celeiro de Escritores

Divine Acadèmie Française

Divine Acadèmie Française

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013
Literarte/Mágico de Oz (Portugal)

Lançamento da Antologia Vozes Escritas

Lançamento da Antologia Vozes Escritas
Noite de autógrafos em Barra Bonita-SP

Antologia Literária Cidade - Volume II

Antologia Literária Cidade - Volume II
Poemas : Ciclone e Ébano

Antologia Eldorado

Antologia Eldorado

Antologia II

Antologia II

Antologia Cidade 10

Antologia Cidade 10
Org. Abílio Pacheco

Antologia da ALAB

Antologia da ALAB

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas
Lançamento do CELEIRO DE ESCRITORES

Contos de Hoje - Narrativas

Contos de Hoje - Narrativas
Literacidade

O Conto Brasileiro Hoje

O Conto Brasileiro Hoje
RG Editores

4ª Antologia da ALAF

4ª Antologia da ALAF
Academia de Letras e Artes de Fortaleza

Dracúlea II

Dracúlea II
...você já leu ?

Antologia Del´Secchi

Antologia Del´Secchi

Sobrenatural

Sobrenatural
Conto: A Casa do Velho

Diamantes III

Diamantes III
Organização Fídias Teles

Entre em contato com a Editora Erica

Entre em contato com a Editora Erica
Não perca mais tempo, adquira seu exemplar.

Minhas produções

Minhas produções