sábado, 29 de janeiro de 2011

La Vecchia Religione

A festa de noivado havia sido alegre, sem muito requinte, destinada a parentes mais próximos. O casamento seria em breve e estavam comprando aos poucos todo mobiliário, enxovais e demais necessidades de quem vai constituir uma família. Faltava a casa. Por isso, Roberto e Mara foram ver uma casa muito antiga que estava a venda. A casa era dos primórdios da cidade. Estava bastante desgastada, embora conservasse a arquitetura da época. Ainda era habitada, com extrema simplicidade por Teresa, já de idade avançada.
Antes era uma casa isolada, com uma enorme paineira ao lado, poço, fossa afastada, um perdigueiro que sempre dormia recostado a aroeira. Galinhas circulavam soltas. Lá moravam Teresa, sua mãe e três irmãs. O pai havia falecido quando eram bem crianças. As quatro irmãs não se casaram e aos poucos foram morrendo, sobrando apenas Teresa. Agora iria para um asilo, estava fraca, quase cega, caminhando com grande dificuldade. Sentia deixar a casa, mas percebia ser impossível continuar sozinha.
Mara era apaixonada por aquela casa e queria reformá-la mantendo, ao máximo, seu padrão. A imaginava pintada, bem decorada, rodeada com jardins bem cuidados. O quintal era muito grande e pretendia ter ali uma piscina, churrasqueira, para o conforto e diversão da família. O negócio foi feito. Roberto tratou de rapidamente procurar um engenheiro para que fossem feitos estudos sobre a reforma da casa.”Entrego a casa, por que é para vocês”, comentou Teresa ao despedir-se, apesar de nunca tê-los visto antes.
Alguns pontos precisavam ser demolidos e reconstruídos, outros poderiam ser conservados em especial a fachada. Os trabalhos começaram, arrancando os assoalhos de madeira de imbuia, velho e desgastado. O porão se evidenciou, tendo ali muitas coisas guardadas e que haviam ficado. Mara e Roberto foram chamados pois além de tantas coisas ali armazenadas, haviam desenterrado uma caixa de madeira bem lacrada. Mara encantou-se com os achados. Móveis rústicos do início do século poderiam ser restaurados, penteadeiras belíssimas. Com um pé de cabra, Roberto abriu a caixa. Nela haviam potes ricamente decorados, com entalhes muito bem confeccionados demonstrando a habilidade do artista. Mara delirou já imaginando a decoração da casa. Ela que era fascinada por objetos antigos. Os potes eram lacrados, com tampas acobreadas. Acharam por bem não tentarem abrir com o risco de danificar as peças.
Passaram-se alguns dias com os trabalhos de demolição, retirada de entulhos, escavação para a construção da piscina e novamente o casal foi chamado às pressas. Outra caixa havia sido encontrada, agora muito grande e comprida. Preocupados com a cobiça das pessoas, pediram apenas que caixa fosse conduzida até a casa de Roberto, já que morava sozinho e poderia explorá-la com mais tranqüilidade e longe de olhares curiosos.
Os olhos de Roberto encheram-se de curiosidade e espanto, quando conseguiu arrancar a tampa. Uma mulher embalsamada jazia ali. Altamente conservada, sendo possível traçar-lhe o perfil com tranqüilidade. O barracão em cujo solo fora sepultada de certa forma a protegera ao longo de anos. Estava rodeada de outros objetos, candelabros talhados com figuras estranhas, outros potes, colares e pulseiras provavelmente de ouro e pedras preciosas. Vacilou entre chamar a polícia e calar-se. Foi afoito até a casa de Mara e a trouxe quase arrastando-a. Ficaram horas admirando o sono da anciã. Resolveram calar-se. Manteriam um porão na casa e a levariam para lá.
A casa foi reconstruída rapidamente. No porão fizeram uma sala mortuária, onde poderiam visitar a senhora. Isso era um segredo dos dois. Ela decoradora, ele professor de História tinham seus motivos de excentricidade.
Pouco tempo depois, Roberto foi convidado para assumir aulas na Universidade e Mara encheu-se de muito trabalho, a ponto de dispensar alguns. Tudo estava fluindo de maneira favorável, com alegria e oportunidades que se sucediam de maneira espantosa. O casamento acabou tendo uma festa bem maior que a prevista, com fartura, beleza e certo luxo. Mudaram-se. Não iriam viajar, queriam o mais rápido possível curtir a casa que desenharam com tanto carinho cada dia desde que a visitaram pela primeira vez.
Roberto iniciou minucioso estudo sobre o início da cidade e, em especial, dos moradores daquela casa. Pouco se sabia a respeito. Mara, sempre encantada com os artefatos encontrados pegou um dos potes e começou olhá-lo, atenta aos detalhes. Percebeu incrustado nele a palavra “streghe”. Chacoalhou-o e percebeu que havia algo dentro dele talvez areia. Interessou-se e outra surpresa se delineou com o significado da palavra. Com extremo cuidado abriu o pote. Dentro dele havia cinzas.
Sem muitas respostas, Roberto e Mara decidiram ir até o asilo falar com Teresa. Mal se apresentaram e Teresa os interceptou antecipando o motivo da visita. “Encontraram”. Mara expôs que muitas coisas haviam sido encontradas, estava curiosa com tudo e queria que a anciã contasse o que sabia, já que não haviam pessoas da época que pudessem contar o que quer que fosse. Teresa sorriu.”Ninguém saberia”. O que há no pote onde está escrito “streghe”? “As cinzas de minha avó queimada na Itália acusada de bruxaria”. “Somos de uma família de bruxas, minha mãe veio fugida de lá e trouxe consigo as cinzas e outros potes e utensílios utilizados por ela, quando aqui chegou enterrou no porão da casa.”
Roberto e Mara se entreolharam estupefatos. “E a mulher no caixão? Está embalsamada !”. “Enterramos minha mãe normalmente, também com seus utensílios, mas não foi embalsamada”. “Ela está intacta”, advertiu Mara. Mais uma vez Teresa sorriu enigmática. “Ela própria lhe contará o resto. Você foi chamada para La Vecchia Religione, siga o seu caminho”. Teresa levantou-se, mal se apoiando sobre si mesma. “Siga o seu caminho”, determinou mais uma vez.
Mara debruçou-se no estudo da Stregheria. Suas noites passaram a ser agitadas, com sonhos diversos, onde recebia orientações, vivenciava rituais, intuía receitas e encantamentos. Comprou um caderno onde passou a notar o que sonhava e intuía.
Receberam a notícia do falecimento de Teresa. Ela parecia sorrir, tranqüila, com cento e dois anos. Poucas pessoas, em geral curiosos e transeuntes acompanharam o séquito. Aquele seria um local de constante peregrinação do casal, a partir daquele dia.
“Você tem olhar de fogo” disse a senhora diante de Mara, trêmula e gelada. Pela primeira vez a anciã falava com ela, conforme Teresa havia anunciado. “Vou lhe ensinar os segredos da Velha Religião”.
Curiosamente Roberto e Mara tiveram três filhas que seguiram a velha crença, mantendo-se unidas, solteiras e reservadas. Hoje, Mari a mais nova está com noventa e dois anos, vive sozinha na casa. Um casal a procurou para comprá-la.

CONTOS EMANADOS DE SITUAÇÕES COTIDIANAS

“Os contos e poemas contidos neste blog são obras de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações terá sido mera coincidência”

SABORES DO COMENDADOR

Ator Nacional: Carlos Vereza

Ator Internacional: Michael Carlisle Hall/ Jensen Ackles/ Eric Balfour

Atriz Nacional: Rosamaria Murtinho / Laura Cardoso/Zezé Mota

Atriz Internacional: Anjelica Huston

Cantor Nacional: Martinho da Vila/ Zeca Pagodinho

Cantora Nacional: Leci Brandão/ Maria Bethania/ Beth Carvalho/ Alcione/Dona Ivone Lara/Clementina de Jesus

Música: Samba de Roda

Livro: O Egípcio - Mika Waltaire

Autor: Carlos Castañeda

Filme: Besouro/Cafundó/ A Montanha dos Gorilas

Cor: Vinho e Ocre

Animal: Todos, mas especialmente gatos, jabotis e corujas.

Planta: aloé

Comida preferida: sashimi

Bebida: suco de graviola/cerveja

Mania: (várias) não passo embaixo de escada

O que aprecio nas pessoas: pontualidade, responsabilidade e organização

O que não gosto nas pessoas: pessoas indiscretas e que não cumprem seus compromissos.

Alimento que não gosta: coco, canjica, arroz doce, melão, melancia, jaca, caqui.

UM POUCO DO COMENDADOR.


Formado em Matemática e Pedagogica. Especialista em Supervisão Escolar. Especialista em Psicologia Multifocal. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa pela ABD e Instituto VAEBRASIL.

Comenda Rio de Janeiro pela Febacla. Comenda Rubem Braga pela Academia Marataizense de Letras (ES). Comenda Castro Alves (BA). Comendador pela ESCBRAS. Comenda Nelson Mandela pelo CONINTER e OFHM.

Cadeira 023, da Área de Letras, Membro Titular do Colegiado Acadêmico do Clube dos Escritores de Piracicaba, patronesse Juliana Dedini Ometto. Membro efetivo da Academia Virtual Brasileira de Letras. Membro da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias. Membro da Literarte - Associação Internacional de Escritores e Acadêmicos. Membro da União Brasileira de Escritores. Membro da Academia de Letras e Artes de Fortaleza (ALAF). Membro da Academia de Letras de Goiás Velho (ALG). Membro da Academia de Letras de Teófilo Ottoni (Minas Gerais). Membro da Academia de Letras de Cabo Frio (ARTPOP). Membro da Academia de Letras do Brasil - Seccional Suíça. Membro da Academia dos Cavaleiros de Cristóvão Colombo. Embaixador pela Académie Française des Arts Lettres et Culture. Membro da Academia de Letras e Artes Buziana. Cadeira de Grande Honra n. 15 - Patrono Pedro I pela Febacla. Membro da Academia de Ciências, Letras e Artes de Iguaba Grande (RJ). Cadeira n.º 2- ALB Araraquara.

Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Taquaritinga pelos serviços em prol da Educação. Moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Bebedouro por serviços prestados à Educação Profissional no município. Homenagem pela APEOESP, pelos serviços prestados à Educação. Título de Cidadão Bebedourense. Personalidade 2010 (Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade Mais Influente e Educador 2011(Top of Mind - O Jornal- Bebedouro). Personalidade 2012 (ARTPOP). Medalha Lítero-Cultural Euclides da Cunha (ALB-Suíça). Embaixador da Paz pelo Instituto VAEBRASIL.

Atuou como Colunista do Diário de Taquaritinga e Jornal "Quatro Páginas" - Bebedouro/SP.
É Colunista do Portal Educação (http://www.portaleducacao.com.br

Premiações Literárias: 1º Classificado na IV Seletiva de Poesias, Contos e Crônicas de Barra Bonita – SP, agosto/2005, Clube Amigo das Letras – poema “A benção”, Menção Honrosa no XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras de Paranapuã, novembro/2005 – poema “Perfeita”, 2º colocado no Prêmio FEUC (Fundação Educacional Unificada Campograndense) de Literatura – dezembro/2005 – conto “A benção”, Menção Especial no Projeto Versos no Varal – Rio de Janeiro – abril/2006 – poema “Invernal”, 1º lugar no V Concurso de Poesias de Igaraçu do Tietê – maio/2006 – poema “Perfeita”, 3º Menção Honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba – setembro/2006 – poema “Perfeita”, 4º lugar no Concurso Literário de Bebedouro – dezembro/2006 –poema “Tropeiros”, Menção Honrosa no I concurso de Poesias sobre Cooperativismo – Bebedouro – outubro/2007, 1º lugar no VI Concurso de Poesias de Guaratinguetá – julho/2010 – poema “Promessa”, Prêmio Especial no XII Concurso Nacional de Poesias do Clube de Escritores de Piracicaba, outubro/2010, poema “Veludo”, Menção Honrosa no 2º Concurso Literário Internacional Planície Costeira – dezembro/2010, poema “Flor de Cera”, 1º lugar no IV Concurso de Poesias da Costa da Mata Atlântica – dezembro/2010 – poema “Flor de Cera”. Outorga do Colar de Mérito Literário Haldumont Nobre Ferraz, pelo trabalho Cultural e Literário. Prêmio Literário Cláudio de Souza - Literarte 2012 - Melhor Contista.Prêmio Luso-Brasileiro de Poesia 2012 (Literarte/Editora Mágico de Oz), Melhor Contista 2013 (Prêmio Luso Brasileiro de Contos - Literarte\Editora Mágico de Oz)

Antologias: Agreste Utopia – 2004; Vozes Escritas –Clube Amigos das Letras – 2005; Além das Letras – Clube Amigos das Letras – 2006; A Terra é Azul ! -Antologia Literária Internacional – Roberto de Castro Del`Secchi – 2008; Poetas de Todo Brasil – Volume I – Clube dos Escritores de Piracicaba – 2008; XIII Coletânea Komedi – 2009; Antologia Literária Cidade – Volume II – Abílio Pacheco&Deurilene Sousa -2009; XXI Antologia de Poetas e Escritores do Brasil – Reis de Souza- 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2009; Guia de Autores Contemporâneos – Galeria Brasil – Celeiro de Escritores – 2010; Prêmio Valdeck Almeida de Jesus – V Edição 2009, Giz Editorial; Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas - Celeiro de Escritores, 2010; Contos de Outono - Edição 2011, Autores Contemporâneos, Câmara Brasileira de Jovens Escritores; Entrelinhas Literárias, Scortecci Editora, 2011; Antologia Literária Internacional - Del Secchi - Volume XXI; Cinco Passos Para Tornar-se um Escritor, Org. Izabelle Valladares, ARTPOP, 2011; Nordeste em Verso e Prosa, Org. Edson Marques Brandão, Palmeira dos Indios/Alagoas, 2011; Projeto Delicatta VI - Contos e Crônicas, Editora Delicatta, 2011; Portas para o Além - Coletânea de Contos de Terror -Literarte - 2012; Palavras, Versos, Textos e Contextos: elos de uma corrente que nos une! - Literarte - 2012; Galeria Brasil 2012 - Guia de Autores Contemporâneos, Celeiro de Escritores, Ed. Sucesso; Antologia de Contos e Crônicas - Fronteiras : realidade ou ficção ?, Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012; Nossa História, Nossos Autores, Scortecci Editora, 2012. Contos de Hoje, Literacidade, 2012. Antologia Brasileira Diamantes III, Berthier, 2012; Antologia Cidade 10, Literacidade, 2013. I Antologia da ALAB. Raízes: Laços entre Brasil e Angola. Antologia Asas da Liberdade. II Antologia da ACLAV, 2013, Literarte. Amor em Prosa e Versos, Celeiro de Escritores, 2013. Antologia Vingança, Literarte, 2013. Antologia Prêmio Luso Brasileiro - Melhores Contistas 2013. O tempo não apaga, Antologia de Poesia e Prosa - Escritores Contemporâneos - Celeiro de Escritores. Palavras Desavisadas de Tudo - Antologia Scortecci de Poesias, Contos e Crônicas 2013. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXIII, RG Editores. Antologia II - Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro. antologia Escritores Brasileiros, ZMF Editora. O Conto Brasileiro Hoje - Volume XXVI - RG Editores (2014). III Antologia Poética Fazendo Arte em Búzios, Editora Somar (2014). International Antology Crossing of Languages - We are Brazilians/ antologia Internacional Cruce de Idiomas - Nosotros Somos Brasileños - Or. Jô Mendonça Alcoforado - Intercâmbio Cultural (2014). 5ª Antologia Poética da ALAF (2014). Coletânea Letras Atuais, Editora Alternativa (2014). Antologia IV da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). A Poesia Contemporânea no Brasil, da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, Editora Iluminatta (2014). Enciclopédia de Artistas Contemporâneos Lusófonos - 8 séculos de Língua Portuguesa, Literarte (2014). Mr. Hyde - Homem Monstro - Org. Ademir Pascale , All Print Editora (2014)

Livros (Solos): “Análise Combinatória e Probabilidade”, Geraldo José Sant’Anna/Cláudio Delfini, Editora Érica, 1996, São Paulo, e “Encantamento”, Editora Costelas Felinas, 2010; "Anhelos de la Juvenitud", Geraldo José Sant´Anna/José Roberto Almeida, Editora Costelas Felinas, 2011; O Vôo da Cotovia, Celeiro de Escritores, 2011, Pai´é - Contos de Muito Antigamente, pela Celeiro de Escritores/Editora Sucesso, 2012, A Caminho do Umbigo, pela Ed. Costelas Felinas, 2013. Metodologia de Ensino e Monitoramento da Aprendizagem em Cursos Técnicos sob a Ótica Multifocal (Editora Scortecci). Tarrafa Pedagógica (Org.), Editora Celeiro de Escritores (2013). Jardim das Almas (romance). Floriza e a Bonequinha Dourada (Infantil) pela Literarte. Planejamento, Gestão e Legislação Escolar pela Editora Erica/Saraiva (2014).

Adquira o seu - clique aqui!

Adquira o seu - clique aqui!
Metodologia e Avaliação da Aprendizagem

Pai´é - Contos de Muito Antigamente

Pai´é - Contos de Muito Antigamente
Contos de Geraldo J. Sant´Anna e fotos de Geraldo Gabriel Bossini

ENCANTAMENTO

ENCANTAMENTO
meus poemas

Análise Combinatória e Probabilidades

Análise Combinatória e Probabilidades
juntamente com o amigo Cláudio Delfini

Anhelos de la Juvenitud

Anhelos de la Juvenitud
Edições Costelas Felinas

A Caminho do Umbigo

A Caminho do Umbigo
Edições Costelas felinas

Voo da Cotovia

Voo da Cotovia
Celeiro de Escritores

Divine Acadèmie Française

Divine Acadèmie Française

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013

Prêmio Luso Brasileiro de Poesia 2012/2013
Literarte/Mágico de Oz (Portugal)

Lançamento da Antologia Vozes Escritas

Lançamento da Antologia Vozes Escritas
Noite de autógrafos em Barra Bonita-SP

Antologia Literária Cidade - Volume II

Antologia Literária Cidade - Volume II
Poemas : Ciclone e Ébano

Antologia Eldorado

Antologia Eldorado

Antologia II

Antologia II

Antologia Cidade 10

Antologia Cidade 10
Org. Abílio Pacheco

Antologia da ALAB

Antologia da ALAB

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas

Antologia Poesia Contemporânea - 14 Poetas
Lançamento do CELEIRO DE ESCRITORES

Contos de Hoje - Narrativas

Contos de Hoje - Narrativas
Literacidade

O Conto Brasileiro Hoje

O Conto Brasileiro Hoje
RG Editores

4ª Antologia da ALAF

4ª Antologia da ALAF
Academia de Letras e Artes de Fortaleza

Dracúlea II

Dracúlea II
...você já leu ?

Antologia Del´Secchi

Antologia Del´Secchi

Sobrenatural

Sobrenatural
Conto: A Casa do Velho

Diamantes III

Diamantes III
Organização Fídias Teles

Entre em contato com a Editora Erica

Entre em contato com a Editora Erica
Não perca mais tempo, adquira seu exemplar.

Minhas produções

Minhas produções